Páginas

Quem tá sempre por aqui

Entrevista - Veronica Kraemer

56 deram palpite ! Comenta, vai...

O post de hoje é uma entrevista com Veronica Kraemer, artista plástica. Uma das pessoas mais generosas que conheço. Ela edita o blog “Além da Rua Atelier”, onde mostra as atividades do seu atelier, de mesmo nome, onde ela cria e dá aulas. Espero que você goste!




Sempre morou em sampa?
Nasci em Sampa, mas fui morar em Campinas aos 8 anos, fato que nunca gostei, pois sempre amei São Paulo, a agitação, as pessoas, sempre conhecer gente nova que não se preocupa com nome e sobrenome, gente com menos ou nehum preconceito, gente de tudo que é jeito.  


Pensa em sair de sampa?
Nunca, nunquinha, só se for pra conhecer lugares novos, o que eu amo muito, viajar, mas sair daqui não. Consegui estar em um lugar aqui, o bairro da Vila Madalena, que é bem sossegado, especialmente onde estou. Tem gente que vem aqui e fala: nossa, aqui parece que estamos no interior!!! Assim, tenho a agitação que eu tanto amo, mas o sossego para criar e ser feliz, ficar em paz e em silêncio quando preciso, que é quase todos os dias. 


Qual a tua formação? Como foi essa escolha?
Sou psicóloga. Eu me vejo atuando em várias áreas nesta vida, não em apenas uma. Assim, escolhi prestar vestibular pra publicidade e arquitetura, Passei nos 2, escolhi publicidade e DETESTEI. Saí, fiz 1 ano de cursinho e pensei, que como gostava muito de lidar com pessoas a um nível mais subjetivo, ser psicóloga era uma boa escolha.
 


Chegou a trabalhar com psicologia?
Trabalhei bastante. Atendi, fiz aprimoramento por 2 anos com especialização em saúde mental e por mais 2 anos atuei como acompanhante terapêutica.




Como foi o primeiro contato com as artes?
Nossa, desde que eu era pequenina, minha mãe me colocava no cercadinho e dava revistinhas pra eu sossegar. Será que eu já era agitada?rsrsrsrrsrs


Na escola, o que eu mais gostava era das aulas de artes. Amaaaaaaaaaaaaaaava assistir o Daniel Azulay e fazia tudo que ele ensinava na TV. Fazia cartões de natal pra todo mundo e vendia bolsas feitas de papel. Depois, evoluí para pulseirinhas de linha, e fora isso, desenhava pras pessoas.


Já psicóloga, em meu aprimoramento, desenhava muito com meus pacientes para acalmá-los e mudar seu foco. Eles diziam que eu não era psicóloga, e sim pintora.



Qual a relação que você vê entre a Psicologia e as artes?
Acho que tem tudo a ver. Lidar com as pessoas, com o público, cuidar, escutar. Agora, com tantas alunas, vejo mais ligação ainda, se bem que muitas vezes elas é que são minhas psicólogas.rsrsrrsrsrsrs




Como foi essa transição da Psicologia para as Artes Plásticas?
Senta que lá vem história!!!


Tudo começou em 1999. Eu fazia acompanhamento terapêutico e meus pacientes foram internados ou mudaram. meu ex companheiro, músico, estava duro. A situação estava bem complicada, até que decidimos ir ao Ceasa e comprar uns vasos para pintar e vender na rua. Eu pulava no sofá de tanto entusiasmo. No dia seguinte, a sala de casa virou um micro atelier, cheia de vasos e tintas que haviam sobrado da pintura do apartamento. Até hoje me lembro do primeiro vasinho que pintei... era branco com florzinhas azuis, só que, como eu nunca havia pintado em vasos, fiz muitas flores e não acabava nunca...rsrsrsrsrsrs

No final de semana, fomos vender na rua, lá na Benedito Calixto, e até parece que alguém deixou a gente ficar... Daí passamos na casa de minha irmã e ela disse para eu não desanimar, porque ela havia sonhado que eu tinha vendido tudo. Procuramos e achamos uma esquina em Pinheiros, até hoje tem gente que lembra de mim de lá. Ficamos lá por 5 anos, mas a coisa cresceu tanto que alugamos uma casinha para fazer o Atelier, e depois uma loja, e assim foi. O nome “Além da Rua” vem disso, pois antes vendíamos apenas na rua, e fomos Além. 



Como aprendeu as técnicas que utiliza? Continua aprendendo técnicas novas?
Aprendi tudo vendo os outros fazerem. Acho que quando temos um dom, temos que aproveitá-lo, sabe?

Nos primeiros 5 anos eu pintava vasinhos e telinhas pequenas. Quando me separei e dividimos as lojas, comecei a querer aprender tudo que os outros faziam, pra nunca mais ter que depender de ninguém. Eu sofri tanto de amor que a única coisa que me fazia levantar e sair da cama era pensar: “Vou conseguir, vou aprender, vou superar!”. e assim fui aprendendo a cortar madeira, montar molduras. O que eu mais tinha medo era de pintar telas grandes, acredite se quiser. Mas acho que era porque era a especialidade do meu ex, e ele achava que sabia tudo e que eu só sabia pintar vasos. mas depois que ficamos amigos ele me deu aulas e hoje não tenho mais medo.

Agora, com minhas amigas blogueiras, tenho muito mais idéias e vou atrás para sempre aprender. Acredito que nunca devemos deixar de querer aprender, ir atrás e crescer. 




Qual a tua técnica preferida? Por que?
Pátina, porque deixa tudo lindo!!! E é muito simples de fazer. Amo cortar madeiras e criar objetos novos.


Qual foi o teu maior ganho na troca de carreiras ? Do que abriu mão?
Abri mão de garantias financeiras, mas ganhei felicidade. Não consigo me imaginar sem fazer artes e sem dar aulas!!!

É muito difícil viver de artes neste país. Não é “Eu quero vender”. É “EU TENHO QUE VENDER!!!”, pois as contas chegam pra todo mundo. Mas o que me alegra é que hoje em dia vejo mais pessoas dando valor à arte. Mas não é mole, não!!! Tem que acreditar!!!


Como é teu processo criativo ?
Pra mim, criar é  deixar tudo que você tem dentro aflorar, sem paradas, sem freios, sem medos. Criar é poder expressar o divino. É um êxtase. Como disse uma vez para um amigo, é como anjos soprando as nuvens.


De onde vem a inspiração? E, quando ela não vem e tem trabalho pra fazer, como é?
A inspiração vem da fé, de acreditar em você. É uma ligação do “eu” com o “eu superior”. Esta pergunta é muito interessante. Sou uma pessoa de altos e baixos, movida pela paixão. E isso me atrapalhava muito. Quando eu estava bem, era uma maravilha, mas quando estava mal, era O HORROR! Não conseguia fazer nada nem atender direito. Só fazia o que era preciso, encomendas e o que faltava no atelier.

Quando comecei a me espiritualizar e acreditar mais em mim, no ser humano, na busca pela paz e pela verdade, achei um equilíbrio que nunca pensei que fosse conseguir. Isto não faz muito tempo, não. Tudo bem que na TPM fica difícil, e tem dias que dá uma vontade de sumir, mas aí fico em silêncio, rezo, respiro fundo e sei que no outro dia estarei melhor.

Sobre isso da espiritualidade, é algo que eu sempre tive, mas que não sentia como parte de mim como sinto hoje. Era como falar da fé, mas não acreditar realmente, ou como as pessoas que oram somente quando precisam. Eu vivia no barulho, no tumulto, não conseguia ficar sozinha. Acho que na verdade eu tinha era medo. Eu achava normal sair todo dia, nunca ficar em casa sozinha, enfim... Só que isso começou a me fazer muito mal, percebi que muitas vezes, mesmo com muitas pessoas, estava sozinha, e sem fé. Eu procurava e não achava nada...

Um dia tive uma pequena crise de ansiedade, andando na rua, e fiquei muito impressionada. Comecei a questionar para onde a vida estava me levando, mas na verdade percebi que não era esta a questão, e sim para onde EU estava levando a minha vida. Foi um período muito difícil, me fechei, me tranquei, sofri, achei que ia ter estas crises todos os dias. Não conseguia contar pra ninguém, e sabia que somente eu poderia mudar o rumo de tudo. E foi o que eu fiz, dia após dia, passo a passo, cresci e amadureci em meses o que eu não quis a vida toda.

Eu gostava de ser irresponsável. Melhor dizendo, uma rebelde sem causa. Continuo rebelde, mas assumi a responsabilidade de meus atos, e hoje sinto a fé, o superior, em tudo que acontece. Sei que sou responsável por mim e pelos que me cercam, responsável pelo amor e felicidade que dedico a cada um deles. Esta fé, esta crença, agora fazem parte de mim. Eu sou!!! Será que deu pra me entender? Espiritualidade não tem a ver apenas com dizer que acreditamos em algo, mas com sermos parte deste todo, e agora  com mais responsabilidade conosco e com todos os seres humanos.

Outra coisa que me ajuda bastante é poder ajudar os outros, e isto aflorou com meu blog. Dá uma paz maior ainda, uma satisfação muito grande. O maior aprendizado, e este devo à minha querida mãe, é a diferença entre fazer as coisas, simplesmente, e fazer as coisas COM AMOR!!! O amor e a fé movem montanhas!!!  Tudo que é feito com amor dá certo. Amar ao outro, amar a si mesmo, amar a vida, amar o trabalho, amar tudo!!!

 

 
Pra saber mais sobre Veronica e sua obra, clique aqui


Tem dó e comennnnnnnnnnnnnta, vai !    

Beijo pra quem é de beijo !  

Mais sorteio !!!

14 deram palpite ! Comenta, vai...

Quem quer ganhar essa almofada levanta a mão!!!


Levantou a mão?? 

Então, obrigada, porque ela foi feita por mim...

Fiz especialmente pra Nanda sortear lá no Manga com Pimenta

Pra participar, é só clicar aqui.



Amanhã vou postar uma super entrevista com uma blogueira-artista maravilhosa que eu adoro e que faz coisas lindas. Fica de olho pra não perder!


Tem dó e comennnnnnnnnnnnnta, vai !    


Beijo pra quem é de beijo !

 

Não é uma fofa ?? Ownnnn

32 deram palpite ! Comenta, vai...
 Uiuni, abduzida

Eu já tive vários gatos. De raça, sem raça, fêmeas, machos, que comprei, que ganhei, que resgatei, quietinhos, atentados, brancos, pretos, malhados.  Já tive até um gato que se mudou pra casa do vizinho, e vinha visitar a gente de vez em quando. 

Estrela (in memoriam) e Gatita (fugida)


Alguns morreram, outros sumiram. Há quem defenda que pelo menos uma foi abduzida pelo comércio local de animais. O fato é que não tinha nenhum gato aqui em casa desde uma semana antes do Natal do ano passado, quando a Polar saiu pra passear e nunca mais voltou. Se você já teve um gato em casa, sabe como uma casa sem gatos pode ficar triste, sem graça mesmo!

 Polar, fugida

Então, sábado passado, uma amiga querida nos salvou dessa vida sem graça! Me perguntou se eu não queria ficar com um filhotinho que apareceu no quintal dela. Ora, se eu não quis! Fui lá correndo pegar, claro!!! 




As crianças logo batizaram, no carro mesmo, antes de chegar em casa: “Mãe, o nome dele é Mingau!!” Ah, eu nunca cuidei de um filhotinho tão novinho, tão pequeno e tão fofo como esse! Ele nem desmamou ainda, então tentamos dar leite de vaca pro pobrezinho. Nada feito, ele detestou. Ração, nem pensar! Não tem dentes...



Chamei a veterinária pra me dar uma luz. Ela esclareceu que ele é ela (continua sendo A Mingau), receitou leite artificial de gatos, dois conta-gotas de 3 em 3 horas. Lá fui eu então tentar comprar, sem sucesso, na minha mega cidade. A veterinária, talvez já prevendo o fracasso da minha missão, me deu uma receita:

- 1 litro de leite de vaca;
- meia lata de leite condensado
- meia lata de creme de leite
- 1 gema
- 1 colher de sopa de mel





 

Uau, isso deve ser uma delícia!!! A Mingau concorda! Tá mamando que é uma beleza!! Já aprendeu a sair da caixa, já fez xixi no sofá da sala (safada!), enfim, tá ótima! Ontem tentei dar o leite numa tampinha de pote, mas ela não sabe lamber ainda, ownnnn que fofa... Me diz aí se não é uma lindeza!!

 
 


Tem dó e comennnnnnnnnnnnnta, vai !    

Beijo pra quem é de beijo !

 

Casa do leitor - Gabriela Contes

13 deram palpite ! Comenta, vai...
Bom dia !!!!

Lembra que nesse post aqui eu te convidei a mostrar as paredes da tua casa? Então... A Gabriela Contes gostou da idéia e me mandou algumas fotos da casa dela. Foi ela mesma que comprou e pintou e montou tudo! Gaby, adorei as tuas artes!!! Vamos ver?




Essa flor marrom fica na sala. A Gaby sempre namorava uma parecida na Leroy mas, como achava um absurdo pagar quase R$200,00 na peça, ia deixando pra lá . Um dia foi a Pedreira, viu a flor em MDF cru e resolveu investir no “faça você mesmo”. Ela me contou que pensou assim: ”Eu sou capaz!”. Ela pagou R$20,00 com a tinta para madeira marrom e tudo, nem precisou de tinta no fundo. Ela ainda me disse: “E fiquei mais feliz ainda porque fui eu quem fiz.” Esse sentimento de vitória ao fazer alguma coisa com as próprias mãos eu conheço bem, Gaby!!! Delícia, não?




Essas borboletas ficam no quarto do casal. Ela queria em adesivos mas nunca encontrava uma exatamente como imaginou. Mas, em outra ida a Pedreira, encontrou essas em MDF, comprou e pintou de branco. Não são lindas ?? Ela pagou  R$7,50 na grande e R$4,50 nas pequenas. Ela disse que ficou feliz de novo porque foi ela mesma que fez, mas contou com ajuda do marido, que ama ajudar nas artes.




Esse quadrinho fica do lado das borboletas. Ela comprou um porta retrato também em MDF cru, forrou o fundo com tecidinho de florzinhas coloridas e colou essas rosas de resina. Ela diz que amou o resultado porque deu um contraste na parede vermelha. Eu também adorei! E você?




A idéia (sim, ainda com acento) dos quadrinhos foi do marido! Isso mesmo! Menina, que marido inspirado!!! A Gaby me contou, toda orgulhosa: “Como disse, ele ama essas artes, ele quem escolheu todas as pecinhas, me ajudou a pintar e a montar. Tudo começou com uma que temos na cozinha que compramos pronta em Poços de Caldas e ele disse: " Muito fácil, vamos fazer um para cada cômodo". E foram surgindo as idéias.”

E você, bonita, não vai me mandar umas fotos da tua casa pra eu mostrar aqui??
 



Tem dó e comennnnnnnnnnnnnta, vai !    


Beijo pra quem é de beijo !


Sorvete caseiro

18 deram palpite ! Comenta, vai...

Aqui em casa quem cozinha bem mesmo é marido. Bem MESMO! Então quando ele está em casa, a cozinha é dele, claro !

Ontem ele fez peixe ao molho de leite de coco (receitinha infalível aqui), massa na manteiga com manjericão (da horta) e, de sobremesa, sorvete de nutella. Nhammmmmmmm !!!




A gente sempre tem na cozinha alguns eletrodésticos essenciais, como liquidificador, por exemplo. Outros, a gente compra, usa uma vez e nunca mais, como panela elétrica a vapor (um arrependimento, nossa...). E tem sempre um que é a estrela da cozinha. Esse, normalmente, de essencial não tem nada, mas é uma delícia, uma mão na roda. 


Na nossa cozinha, o eletrodoméstico mais legal é a sorveteira. Tá, tudo bem, a gente sempre viveu bem sem ela, mas, nossa, sorveteira é o máximo (e nem é tão cara).  Dá pra brincar com os sabores, e ter certeza que não tá comendo gordura hidrogenada (eca!). Nesse ponto, acho bom esclarecer que este post não é patrocinado rsrs.

Olha ela aí em ação! Hmmmmm... delícia!! 


Então, quer a receita? Dou, claro, anota aí.

Esta receita é de marido, mas ele autorizou a publicação. Aproveita que ele tá bonzinho hoje!

- 350g de nutella
- 200 ml leite

- 500g creme de leite fresco (tem que ser fresco)
- 2 colheres sopa de açúcar


Gele o creme de leite meia hora no freezer. 

Misture numa panela o leite e a nutella e leve a fogo baixo, pra dissolver. Deixe esfriar.

Bata na batedeira o creme de leite gelado e o açúcar por 5 minutos, em velocidade baixa, até fazer um chantily. 

Misture com o creme da panela, já frio. Coloque na sorveteira até a consistência ficar como uma pasta bem gelada. Pronto. 

Agora é colocar num pote e levar ao freezer até a hora de servir. Nem é difícil, né?


 -*-*-*-*-*-*-*-*-*-

Outro assunto: adorei os comentários no post de ontem, obrigada!!


Respondendo às perguntas: as formigas, as flores e as borboletas são de metal (não sei qual).

Algumas fotos de leitores já chegaram por e-mail, oba!!! Vou postar em breve! 

E você, quer suas paredes publicadas aqui? Ou tem um cantinho da casa que você gosta muito?? Manda fotos pra gente ver!





Tem dó e comennnnnnnnnnnnnta, vai !    


Beijo pra quem é de beijo !

 

O que tem nas tuas paredes?

21 deram palpite ! Comenta, vai...


Eu acho legal foto de decoração em revista, gosto de ir a mostras, tem coisas bem bonitas, mas um pouco, digamos, plastificadas. Prefiro casas reais, habitadas, sabe? Gosto de observar as soluções que as pessoas encontram pras suas necessidades. E, pra alguns, estética é necessidade. Esses têm casas lindas, que me demoro a admirar.

Ontem fomos visitar minha sogra e eu me peguei, mais uma vez, admirando as coisas lindas que ela tem nas paredes. Adoro! 


Olha o gato olhando a trilha de formigas subindo a parede!


  Ao lado dos quadros floridos, uma borboleta voando...



Ela tem várias criaturas mágicas espalhadas pela casa, como esse anjo:



 Olha de pertinho:



 Guardando a porta de entrada, borboletas coloridas!



 Acima do espelho, na sala, mais flores e borboletas...



Na parede da sala de jantar, tem essa composição de quadros. Babo por ela!


 

 E, na outra parede, adesivo de flores.



E você, o que tem nas paredes?? Quer mostrar pra gente?? Me manda umas fotos que eu publico aqui, que tal?



Tem dó e comennnnnnnnnnnnnta, vai !    

Beijo pra quem é de beijo !  

Selinhos

10 deram palpite ! Comenta, vai...


Bom dia!!! Hoje o dia amanheceu lindo! E eu acordei super feliz! Marido chegou ontem de viagem, depois de 15 dias fora, eba!!! É sempre muito bom quando ele volta e, pensando bem, tem um lado bom também quando ele tá viajando. Aliás, tudo na vida, se você olhar bem, tem um lado bom, não é mesmo?

Ah, muito obrigada pelos muitos elogios ao texto de marido que publiquei ontem. Fiquei feliz de ver que vocês gostaram. Eu sou super fã, mas sou suspeita, né? 


Outro assunto: eu to super atrasada pra postar alguns selinhos que ganhei, então vou mostrar todos juntos hoje, e vou quebrar as regras de todos rsrs. O que?? Rebelde, euuuuuuuuu??? Ah, que calúnia!!! Eu adorei cada um, muito obrigada!!!


Bora lá então?


Este ganhei da querida Andreza, do Tecendo Sonhos com Você.

 Este, da Flavia, do Lar doce Lar

 Este, da doce Ana, do Faniquito

Este, da Elsy Myriam, do Momentos

E por fim, este ganhei da Lúcia, do Blog da Lúcia

 Em tempo: este ganhei hoje, agora mesmo, da Ana, do Curiosidades de Ana




Ofereço todos a todas todOs vocês, que dão vida ao Potpourri.


Tem dó e comennnnnnnnnnnnnta, vai !    

Beijo pra quem é de beijo !  

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...